Aprenda a fugir dos truques de SEO que não valem a pena

Aprenda a fugir dos truques de SEO que não valem a pena

Às vezes, a tentação de pegar um atalho perigoso para chegar mais rapidamente ao destino é grande. Mas no caso do SEO, este definitivamente não é melhor caminho.

Para melhorar sua posição no ranking dos buscadores, empresas se utilizam de truques ilegais − chamados de “black hat” − que têm por objetivo enganar os robôs dos sites de busca e ganhar posições rapidamente nos resultados.

No entanto, a prática pode acarretar punições pesadas, como a queda brusca no ranking e a exclusão do endereço do índice de resultados dos sites de busca.

Para não cair no papo de uma empresa que promete otimizar seu site em tempo recorde ou até mesmo entrar na conversa de um amigo que diz “faça isso e aquilo, porque fiz com meu site e deu certo”, conheça algumas das manobras ilegais e fuja delas!

Uso excessivo de palavras-chave

Repetir as palavras-chave em todas as páginas do site, em todos os campos (títulos, descrição de produto, descrição de fotos), muitas vezes e fora de contexto, é um erro frequente.

Já acostumado a ser enganado com esta técnica, quando o robô detecta o excesso dispara seu alerta de que algo por ali está errado. Para não cair nessa armadilha a dica é: só empregue a palavra-chave quando ela realmente fizer sentido no contexto. Ou seja, use-a com moderação.

Palavras-chave que não estão relacionadas com sua loja virtual

Outro exemplo comum de mau uso de palavra-chave é quando são empregados termos com alta incidência de buscas, mas que têm pouco ou nada a ver com seu site. Elas servem somente como isca.

Por exemplo: imagine que o termo “Copa do Mundo” esteja entre os mais procurados. Aí você tem uma loja virtual de sapatos e, mesmo que sua coleção não faça nenhum tipo de referência ao assunto, você coloca o termo no título da página ou entre a descrição das mercadorias. Cilada! O internauta que chegar ao seu site não ficará nada feliz com os resultados e o buscador logo perceberá a trapaça.

Cloaking

Pasme, o jornal americano The New York Times já foi pego usando este artifício. O Cloaking é apresentar um conteúdo aos robôs de busca e outro bem diferente aos usuários. No caso do jornal, para os buscadores eles exibiam a notícia toda, mas para os usuários havia um redirecionamento para uma página de login de assinantes.

Textos ocultos

Mais um jeitinho de entulhar palavras-chave no site, sejam elas relacionadas ao mote da loja ou não. Para o visitante, não faz diferença, pois elas estão disfarçadas. Como? Usando, por exemplo, a cor da fonte igual à do fundo. Os visitantes não as enxergam, mas os robôs sim, e é aí que está a suposta vantagem. Mas como já foi dito no primeiro item, a repetição excessiva de palavras-chave liga o “desconfiômetro” dos robôs.

Landing page “vazia”

Também chamada de “doorway page” é, basicamente, uma página criada especificamente para conseguir um bom posicionamento. Não mostra conteúdo importante para o usuário, somente o redireciona para a home page do site, algumas vezes até automaticamente. É comum serem criadas várias dessas páginas, cada uma otimizada para um termo, e todas apontando para o mesmo destino. Mais um truque ilícito que não compensa.

Spam em comentários de blogs

Essa é a mais simples das técnicas. É bem provável que, muitas vezes, quem a utiliza não saiba que está desrespeitando normas. Comentar em diversos artigos e blogs deixando o link para a sua loja virtual pode ser visto como um ato de spam pelos sites de busca, e aquele endereço deixado em todos os comentários pode ser punido.

A tentativa de conseguir cliques por meio de comentários é válida, mas para que não seja vista com “maus olhos”, evite o “Ctrl C Ctrl V” nas mensagens e faça interações pertinentes com o conteúdo apresentado. Lembre-se que tudo o que for feito com exagero pode ser mal interpretado pelos sites de busca.

 

Quer saber qual é a receita certa para se dar bem nas buscas sem trapacear? Confira nosso exclusivo guia de SEO para iniciantes.

Solicite um orçamento para desenvolvimento/consultoria em E-commerce:

Design Responsivo

Marketing Digital

Google Adwords