Autor faudesigner

Chegue ao topo dos resultados do Google pagando (quase) NADA por isso!

Técnicas de SEO que podem ajudá-lo a chegar lá

Ler mais

Aprenda a fugir dos truques de SEO que não valem a pena

Às vezes, a tentação de pegar um atalho perigoso para chegar mais rapidamente ao destino é grande. Mas no caso do SEO, este definitivamente não é melhor caminho.

Para melhorar sua posição no ranking dos buscadores, empresas se utilizam de truques ilegais − chamados de “black hat” − que têm por objetivo enganar os robôs dos sites de busca e ganhar posições rapidamente nos resultados.

No entanto, a prática pode acarretar punições pesadas, como a queda brusca no ranking e a exclusão do endereço do índice de resultados dos sites de busca.

Para não cair no papo de uma empresa que promete otimizar seu site em tempo recorde ou até mesmo entrar na conversa de um amigo que diz “faça isso e aquilo, porque fiz com meu site e deu certo”, conheça algumas das manobras ilegais e fuja delas!

Uso excessivo de palavras-chave

Repetir as palavras-chave em todas as páginas do site, em todos os campos (títulos, descrição de produto, descrição de fotos), muitas vezes e fora de contexto, é um erro frequente.

Já acostumado a ser enganado com esta técnica, quando o robô detecta o excesso dispara seu alerta de que algo por ali está errado. Para não cair nessa armadilha a dica é: só empregue a palavra-chave quando ela realmente fizer sentido no contexto. Ou seja, use-a com moderação.

Palavras-chave que não estão relacionadas com sua loja virtual

Outro exemplo comum de mau uso de palavra-chave é quando são empregados termos com alta incidência de buscas, mas que têm pouco ou nada a ver com seu site. Elas servem somente como isca.

Por exemplo: imagine que o termo “Copa do Mundo” esteja entre os mais procurados. Aí você tem uma loja virtual de sapatos e, mesmo que sua coleção não faça nenhum tipo de referência ao assunto, você coloca o termo no título da página ou entre a descrição das mercadorias. Cilada! O internauta que chegar ao seu site não ficará nada feliz com os resultados e o buscador logo perceberá a trapaça.

Cloaking

Pasme, o jornal americano The New York Times já foi pego usando este artifício. O Cloaking é apresentar um conteúdo aos robôs de busca e outro bem diferente aos usuários. No caso do jornal, para os buscadores eles exibiam a notícia toda, mas para os usuários havia um redirecionamento para uma página de login de assinantes.

Textos ocultos

Mais um jeitinho de entulhar palavras-chave no site, sejam elas relacionadas ao mote da loja ou não. Para o visitante, não faz diferença, pois elas estão disfarçadas. Como? Usando, por exemplo, a cor da fonte igual à do fundo. Os visitantes não as enxergam, mas os robôs sim, e é aí que está a suposta vantagem. Mas como já foi dito no primeiro item, a repetição excessiva de palavras-chave liga o “desconfiômetro” dos robôs.

Landing page “vazia”

Também chamada de “doorway page” é, basicamente, uma página criada especificamente para conseguir um bom posicionamento. Não mostra conteúdo importante para o usuário, somente o redireciona para a home page do site, algumas vezes até automaticamente. É comum serem criadas várias dessas páginas, cada uma otimizada para um termo, e todas apontando para o mesmo destino. Mais um truque ilícito que não compensa.

Spam em comentários de blogs

Essa é a mais simples das técnicas. É bem provável que, muitas vezes, quem a utiliza não saiba que está desrespeitando normas. Comentar em diversos artigos e blogs deixando o link para a sua loja virtual pode ser visto como um ato de spam pelos sites de busca, e aquele endereço deixado em todos os comentários pode ser punido.

A tentativa de conseguir cliques por meio de comentários é válida, mas para que não seja vista com “maus olhos”, evite o “Ctrl C Ctrl V” nas mensagens e faça interações pertinentes com o conteúdo apresentado. Lembre-se que tudo o que for feito com exagero pode ser mal interpretado pelos sites de busca.

 

Quer saber qual é a receita certa para se dar bem nas buscas sem trapacear? Confira nosso exclusivo guia de SEO para iniciantes.

Solicite um orçamento para desenvolvimento/consultoria em E-commerce:

7 ajustes que podem melhorar a posição do seu site nos resultados de busca

Veja como mudanças simples podem influenciar no seu ranqueamento

Se tem algo que todo mundo que tem um site quer é se posicionar bem no Google. Afinal, ele é a principal fonte de pesquisas na internet, e pode levar o usuário direto ao seu site, loja virtual ou blog. Mas, claro, só se você estiver entre os primeiros resultados. A pergunta que fica é, então, como chegar lá?

Bom, primeiro você precisa saber que não existe atalho para um bom posicionamento no Google. O que existe é muito trabalho duro, dedicação e estratégia focados em SEO. Esta é a sigla para Search Engine Optimization, ou Otimização para Mecanismos de Busca, em tradução livre.

O SEO é um conjunto de estratégias que ajudam a melhorar o ranqueamento do seu site, e que tem como base algumas das diretrizes divulgadas pelo próprio Google como fatores-chave para o posicionamento.

O fato é que existem diversas estratégias que exigem tempo e até investimento em um profissional da área para que aconteçam. Mas também há alguns ajustes pequenos e simples que fazem toda a diferença e, certamente, vão ajudá-lo a melhorar a sua colocação. Veja quais são eles:

Seja mais específico

Se você já tem uma plataforma para criação de conteúdo, como um blog corporativo, e produz material pensando no que o seu público precisa e quer saber, já está em um ótimo caminho. Mas há uma forma simples de potencializar esse conteúdo e fazer com que ele te ajude a ranquear melhor: ser mais específico.

A oferta de conteúdo, atualmente, é gigante e, por isso, pode ser muito difícil competir em algumas esferas. Por exemplo, vamos imaginar que você é um pequeno produtor de chocolates buscando um melhor posicionamento.

Se você buscar apenas a palavra “chocolate” no Google, vai reparar que as empresas que aparecerão são gigantes, com muitas décadas de mercado, e vai ser muito complicado competir com elas.

No entanto, se você começar a focar sua estratégia e conteúdo em palavras mais específicas, como “chocolate artesanal”, “chocolates artesanais em São Paulo” ou “chocolate sem açúcar”, vai perceber que a concorrência será bem menor e mais equivalente ao seu porte.

Divida seu texto com intertítulos

Outra dica simples, mas que pouca gente usa! Quando estiver produzindo qualquer tipo de conteúdo escrito para o seu site, não deixe de usar intertítulos.

Além de deixar o conteúdo mais atraente para quem lê, colocar intertítulos no texto diz aos robôs do Google como o seu texto está estruturado e quais são os tópicos específicos que você está abordando.

O ideal, aqui, é usar as tags H1, H2, H3 e subsequentes, de acordo com a estrutura que você quer montar. Por exemplo, você pode fazer um texto sobre os tipos de temperagem adequada para chocolates. Nesse caso, pode dividir o conteúdo nos tópicos chocolate ao leite, chocolate meio amargo e chocolate branco. Cada um deles pode receber a tag. Só que dentro do tópico “chocolate ao leite” você quer fazer subtópicos sobre a composição e a temperatura adequada. Nesse caso, cada um deles receberia a tag. Se houver outros intertítulos dentro destes, você deve marcá-los com a tag e assim por diante.

Mantenha suas URLs amigáveis

Você fez tudo certo, usou palavras-chave ótimas e tem certeza de que vai se posicionar bem. Mas esqueceu de configurar adequadamente a URL, um detalhe que é superimportante.

Muitas ferramentas administrativas de sites geram URL parecidas com isso www.chocolatedelicioso.com.br/produtos/chocolate/udhidos9834-9uwjdij4, o que não é lá um endereço muito legível. Ter uma URL amigável significa que o link para a página faz sentido, tanto para os leitores quanto para o Google.

Nesse caso, um endereço melhor poderia ser, por exemplo, www.chocolatedelicioso.com.br/produtos/chocolate/caixa-de-bombom-licor-10-unidades.

Comece a usar meta description

A maioria das plataformas para publicação, como os CMS, tem um espaço para que você preencha a meta description de cada página ou post do seu site.

Quando pesquisamos algo no Google, os resultados são compostos de título, um link e duas linhas de resumo sobre o conteúdo, que normalmente são escritas para te convencer a clicar, certo? Pois essa é a meta description! É um elemento simples e rápido de preencher que você não pode esquecer mais.

Use tag ALT nas suas imagens

Como os robôs do Google não são capazes de ler imagens e entender exatamente o que elas significam, usar a tag ALT é importantíssimo para que eles percebam que a sua imagem tem a ver com o conteúdo e o posicionem melhor.

Sempre que for subir uma foto para o seu site procure o campo ALT e preencha com uma pequena descrição ou palavra que transmita o que ela representa. Melhor ainda se essa descrição tiver a palavra-chave principal contida nela.

Faça linkagem interna

Construir uma estrutura de navegação lógica é imprescindível para quem quer ter uma boa estratégia de SEO.

Busque sempre linkar textos e páginas com outras, tanto para que o Google entenda o fluxo de informações do seu site, quanto para fazer com que o usuário, navegando de uma página para a outra e se aprofundando cada vez mais no conteúdo, passe mais tempo no seu site.

Considere usar domínios específicos

Hoje, nenhuma empresa precisa atrelar, obrigatoriamente, seu domínio a extensões tradicionais como .com e .com.br. Existe uma gama de opções mais criativas e diferentes que podem contar pontos para seu site em termos de SEO.

Por exemplo, se você usa o endereço www.chocolatesdoze.store em vez de www.chocolatesdoze.com.br, as chances do Google entender imediatamente que o seu site é uma loja virtual são muito maiores. O mesmo vale para outros domínios específicos, como .tech, .pizza, .beer, .news e muitos outros.

O UOL HOST tem mais de 60 extensões específicas de domínios para você deixar o endereço do seu site muito mais personalizado e diferente. Não deixe de conhecer!

Solicite um orçamento para desenvolvimento/consultoria em E-commerce:

Como fazer para que meu site apareça no Google?

Veja o passo a passo para que seu site seja encontrado por seus futuros clientes

Hoje, com a enorme quantidade de empresas na internet, não basta apenas ter um site, você precisa ser notado pelos consumidores se quiser ter alguma relevância, conquistar um público fiel e vender. Mas como fazer isso?

Bom, o primeiro passo é pensar na experiência do consumidor. O processo de compra geralmente se baseia no despertar de um desejo ou necessidade, pesquisa, relacionamento e compra.

Se você, enquanto cliente, percebe que está precisando de uma televisão nova, naturalmente o primeiro passo vai ser começar a pesquisar modelos de TV e lojas que vendam o produto com o melhor preço possível, certo? Depois disso, você deve tomar um tempo para conhecer melhor a loja escolhida, verificar se ela é mesmo confiável e então comprar.

Esse momento de pesquisa é decisivo na finalização de compra e é nele que sua marca precisa aparecer. E você sabe onde as pessoas costumam procurar por itens que querem comprar? No Google! É por isso que quem tem um site precisa se preocupar em aparecer por lá.

Agora você, provavelmente, está pensando que estar em um lugar tão disputado e importante para o processo de compra deve ser algo bem complicado, não é?

Bem, posicionar seu site no Google é, sim, algo que pode ser um pouco trabalhoso, principalmente se você quiser estar entre os primeiros resultados, mas, com certeza vai ajudá-lo a colher ótimos resultados no futuro. Vamos ver, a partir de agora, como fazer isso!

A indexação de um site

Todos os dias, milhares de sites são criados no mundo todo. O Google tem um sistema que, periodicamente, verifica novos sites, os analisa e, de acordo com alguns critérios próprios, escolhe se vai ou não somá-los ao seu diretório de sites. Esse processo é chamado de indexação.

No entanto, como a quantidade é muito grande, essa indexação orgânica pode demorar um pouco ou acabar não acontecendo. Uma alternativa para agilizar esse processo é fazer a indexação manualmente.

Para adicionar a sua URL no catálogo do Google basta acessar o endereço https://www.google.com.br/intl/pt-BR/add_url.html. Lá, você tem a chance de enviar o seu site para análise e ainda fazer alguns comentários descrevendo que tipo de conteúdo será encontrado em seu site.

Vale dizer que fazer esse cadastro não garante que seu site será adicionado, mas é um passo que pode acelerar a indexação.

Caso você esteja encerrando um site ou mudando ele de endereço, também pode fazer a exclusão ou alteração do endereço neste mesmo lugar.

Quer aparecer primeiro? Invista em SEO

Depois que seu site for indexado pelo Google, ele já poderá ser encontrado pelos usuários no buscador mais famoso do mundo. Mas isso não garante que você vai estar entre os primeiros resultados.

Você já percebeu que quando busca por algo como “como pintar azulejo” aparece uma série de resultados e várias páginas, certo? Bom, isso não é aleatório. O Google coloca no topo os resultados que entende serem os melhores, porque sabe que a tendência é que o público clique nos primeiros links exibidos.

E o que faz com que o Google entenda quais são os melhores sites para mostrar aos usuários? Uma série de fatores que, juntos, chamamos de SEO.

SEO é a sigla para Search Engine Optimization ou Optimização para Mecanismos de Busca, e é o que determina se um site será o primeiro ou o centésimo link na página de resultados do Google.

Se você quiser não só ter chances de aparecer no Google, mas, de fato, ser um dos primeiros quando as pessoas pesquisarem algo relacionado ao seu site, precisa conhecer e investir em SEO. Algumas das principais técnicas para se posicionar melhor são:

Produzir conteúdo de qualidade: a maior preocupação do Google é colocar o conteúdo que melhor atende à necessidade do usuário perto dele. Então, se você quer alcançar o topo, preocupe-se em criar conteúdo excelente, que responda às dúvidas frequentes e eduquem quem está lendo.

Focar em palavras-chaves: o texto que digitamos no campo de busca do Google é chamado de palavras-chaves, e elas são a ligação entre o que o visitante está procurando e o que o seu site tem a oferecer. Pense em que palavras seus futuros clientes podem usar no buscador e tente trabalhar com elas em seu conteúdo.

Buscar links externos: quando você é citado por outros sites, o Google entende que você está se tornando uma referência, e isso contribui muito para um ranqueamento. Mas não vale ser citado por qualquer site. É necessário que você receba links de páginas que tenham a ver com o seu mercado e já estejam estabelecidas há algum tempo na internet. Ou seja, não adianta criar outro site para linkar para o seu, o Google vai perceber!

Ter um layout mobile: como a prioridade é oferecer a melhor experiência possível ao público, e as pessoas estão cada vez mais conectadas à internet por meio de seus smartphones, o Google declarou, recentemente, que ter um layout mobile (aquele que se adapta a telas menores) também faz diferença no ranqueamento.

Adicionar um certificado SSL ao site: o certificado SSL é o que faz com que seu site passe a criptografar informações trocadas entre você e quem acessa seu site. Como é um elemento que garante a segurança do usuário, já está sendo considerado um dos fatores principais para um site ser bem-visto pelo Google.

Como última dica, é bom dizer que quando o assunto é SEO não adianta tentar ser esperto e dar um “jeitinho” para driblar esses itens. Essa tática é conhecida como Black Hat e não agrada ao Google nem um pouco.

O pior é que, se o sistema pegar você trapaceando para se posicionar melhor, você pode ser penalizado com a perda de posições, ou até mesmo ter seu site retirado do catálogo do Google. Ou seja, não vale a pena! Trabalhe no seu site com dedicação e afinco e você vai chegar lá!

Como fazer seu site em WordPress aparecer no Google

Veja algumas técnicas de SEO para WordPress

Vamos combinar: não adianta nada manter um site no ar se ele não receber acessos. Há dois caminhos para que isso aconteça, além da divulgação direta do link por meio de outros canais: investir em mídia paga para que os buscadores evidenciem seu site nos resultados ou aplicar boas práticas de SEO (Search Engine Optimization ou Otimização de Sites para Mecanismos de Buscas), que faz com que seu site se destaque nas pesquisas sem pagar nada por isso.

Se o seu site usa o WordPress como CMS (gerenciador de conteúdo), não há motivos para deixar o trabalho de SEO de lado. Isso porque o próprio Google, o maior site de buscas do mundo, considera o WordPress amigável para a otimização de sites para mecanismos de busca. A plataforma disponibiliza uma série de recursos e plugins atualizados que vão ao encontro das boas práticas de SEO.

Sabendo que há milhares de sites querendo aparecer para o mesmo público-alvo que o seu, você precisa conhecer as melhores técnicas e plugins para usar em seu favor. Acompanhe, a seguir, o que fazer para ajudar seu site em WordPress a aparecer no topo dos resultados:

Crie uma página otimizada no WordPress

Como você deve saber, os buscadores priorizam, em seus resultados, páginas que oferecem conteúdos de qualidade, uma vez que a intenção dos mecanismos é proporcionar a melhor experiência possível ao usuário. Logo, é isso que você deve fazer. Mas, em primeiro lugar, é importante definirmos o que é conteúdo de qualidade para os sites de busca.

Um conteúdo de qualidade reúne informações inéditas e que respondem a todas as dúvidas que os usuários venham a ter sobre determinado assunto. Quanto mais formatos de conteúdo, melhor para otimizar uma página. Isso inclui imagens, vídeos e textos.

Agora, para o buscador entender que sua página pode ser relevante, você precisa destacar alguns pontos. Cada post precisa conter uma palavra-chave que se relacione diretamente com o assunto abordado.

Se você estiver escrevendo um texto sobre dicas de SEO, por exemplo, sua palavra-chave é “SEO”. Normalmente, escolhem-se as palavras-chave de acordo com o volume de buscas no Google. Para isso, use ferramentas como o Google Trends, que indicam os termos mais procurados.

Definido o principal termo do conteúdo, procure destacá-lo em lugares estratégicos. Nesse sentido, é fundamental que a palavra-chave apareça na URL, no título, nos subtítulos H2, no começo do primeiro parágrafo e no decorrer do texto. Mas procure não repeti-la em excesso para não prejudicar a qualidade do conteúdo. Em alguns casos, prefira sinônimos.

Por fim, textos muito curtos – com menos de 300 palavras – não são bem pontuados pelos mecanismos de busca, portanto, procure se aprofundar em suas postagens.

Instale o Plugin Yoast

Muitas coisas para fazer, não? Para ajudá-lo a não esquecer nenhum detalhe, o melhor atalho é instalar o plugin WordPress SEO By Yoast. A partir daí, toda vez que você criar uma página ou um conteúdo novo, ele lembra os passos de otimização.

Antes da publicação, o plugin classifica o texto como bom (círculo verde), OK (círculo laranja) e péssimo (círculo vermelho) SEO, ou seja, trabalhe sempre para buscar a melhor classificação possível.

O WordPress SEO by Yoast também aponta alguns passos que você precisa melhorar. Por exemplo, se não houver nenhum link no texto, seja interno ou externo, ele sugere a utilização.

Ou então, quando o conteúdo tem menos de 300 palavras, ele sinaliza que é preciso escrever um pouco mais para o texto se tornar relevante. E mais: é possível, ainda, editar títulos e meta-descrições direto pelo plugin.

Mas não deixe tudo nas mãos da ferramenta. Você também deve fazer uma avaliação da qualidade do conteúdo e só publique o texto quando ele não deixar margem para dúvidas do leitor.

Aumente a velocidade do site

Quem nunca abandonou um site porque ele demorava para carregar? Os usuários não têm mais paciência para páginas que gastam mais de três segundos para carregar. Como os buscadores não querem apresentar aos usuários páginas que eles vão abandonar em pouco tempo, a velocidade de carregamento do seu site se torna um ponto importante para SEO, além da experiência do usuário, claro.

Nesse sentido, o WordPress disponibiliza uma série de plugins que ajudam na otimização da velocidade do site. Um deles é o Page Speed Insights, que faz um diagnóstico do desempenho da sua página na internet e aponta melhorias, como a redução do tamanho de imagens e a habilitação do cache.

Dê atenção às imagens

Outro aspecto que o Google olha com atenção é a otimização das imagens. Então, quando você inserir a imagem no texto, é importante que o nome do arquivo contenha a palavra-chave. Inclua, ainda, o termo principal nos atributos “title” e “Alt” da imagem.

Para otimizar as imagens, um excelente plugin é o Smush.it para WordPress. Trata-se de um recurso que reduz o tamanho das imagens na hora em que você faz o upload. E o melhor de tudo é que a qualidade das imagens não fica prejudicada.

Depois dessas dicas, você já pode começar a trabalhar boas práticas de SEO em seu site. Vale lembrar que é fundamental manter os plugins atualizados e excluir aqueles que não são mais usados. Por fim, continue estudando e descobrindo novas técnicas de otimização.

Meu site não aparece nos buscadores. E agora?

Sites de busca podem ser grandes aliados na hora de divulgar a sua loja virtual. Diante da crescente concorrência no mundo online, essas ferramentas são cada vez mais estratégicas para tornar sua página mais conhecida e, claro, alavancar suas vendas.

A maioria dos sites é rastreada automaticamente pelos buscadores. Mas algumas páginas podem passar despercebidas nas varreduras e não serem indexadas pelos robôs de buscas logo de cara.

Nesse caso, é possível incluir sua loja virtual nos buscadores desejados manualmente. Basta preencher um cadastro e enviar sua URL (veja como funciona no Google, por exemplo). Outra forma eficaz de entrar no radar da ferramenta de busca é fazer com que um link para seu site apareça em outro já indexado.

Depois disso, a preocupação passa a ser conquistar um bom posicionamento no ranking dos resultados de busca.

Para isso, é preciso tomar algumas medidas, como descrever detalhadamente os seus produtos, usando as palavras-chave e tags certas. Pesquise quais são os termos de busca que os internautas usam para procurar produtos e serviços similares aos seus e aposte nessas expressões na hora de descrevê-los.

Outra dica é o uso de URLs amigáveis, aquelas que não são apenas uma combinação confusa de caracteres, mas sim uma descrição do conteúdo que se encontra naquela página.

E acredite: um design ruim pode dificultar o rastreamento eficiente do conteúdo. Um site fácil de navegar, organizado por categorias, conta pontos junto ao buscador, pois ele considera que o cliente terá facilidade em encontrar o que procura.
Criar um blog para falar dos seus produtos e dar dicas úteis aos clientes também ajuda sua loja a se tornar mais relevante nas buscas. Quanto maior o volume de conteúdo de qualidade relacionado a palavras-chaves relevantes no seu site, maiores as chances de aparecer bem.

Estar presente nas redes sociais também ajuda a aumentar o tráfego para a sua página, além de atribuir relevância à sua marca.

Quer mais dicas sobre como usar as buscas (tanto as orgânicas quanto as patrocinadas) a favor do seu negócio? Confira aqui:

O SEO não funciona na minha loja virtual. Por quê?

Estar na primeira página do resultado de buscas. Esse é o sonho de todas as empresas. Mas nem sempre é possível realizá-lo. Excluindo o atalho – pagar para estar nas primeiras posições – a única maneira de conseguir isso é investindo (muito) em técnicas de SEO.

Dados publicados, em agosto, pela Webmarketing123, mostra que o SEO é o canal de marketing digital com maior impacto na geração de leads para 59% das empresas.

Aí você pode dizer: “Ok, isso eu já sei, e já estou fazendo a lição de casa! Mas não estou obtendo resultados. Por quê?”

Provavelmente porque você está cometendo algum erro no meio do caminho. Fique calmo, isso é natural. A solução é revisar todos os passos e corrigir o rumo. Vamos lá:

Falta de atenção às descrições

Ter boas descrições de produto, com as palavras-chave que realmente são importantes para o seu público alvo é fundamental. Por isso, nada de pular essa etapa.

Cadastrar dezenas, às vezes até centenas de produtos na sua loja pode ser bem cansativo, e levá-lo a pensar em utilizar a famosa técnica do CtrlC + CtrlV. Quando os buscadores fazem a varredura e identificam essas duplicidades, a loja acaba sendo penalizada por cópia de conteúdo e acaba perdendo posições no ranking de relevância.

Outro erro comum é utilizar termos técnicos demais. Lembre-se: o buscador “pensa” como humano. Não adianta descrever seu produto como “haste flexível plástica com algodões nas duas extremidades” se o cliente procura por “cotonete” na hora de fazer a busca.

Desmerecer o link building interno

Você sabe o quão importante é ter outras páginas indicando o leitor para o seu site. Tem feito parcerias para isto e utilizando técnicas naturais e artificiais para o número de links externos crescer. Ótimo, parabéns! Mas, o link building interno, como anda?

A técnica de direcionar leitores para uma página dentro de um mesmo domínio muitas vezes é subestimada, mas ela é importante para espalhar valor entre páginas de um mesmo site. Quando você linka internamente seus artigos, você esta dizendo ao buscador que aquela pagina é importante para seu visitante, além de ajudar a diminuir a taxa de rejeição e aumentar o tempo de navegação.

Se dentro de um mesmo site, o leitor é direcionado para todas as informações que ele deseja ter, ele permanecerá mais tempo ali dentro. E, é sabido, que todos esses fatores ajudam nas contas dos algoritmos dos buscadores.

Usar as palavras-chave erradas

Esse é o ponto principal para o SEO funcionar. As palavras-chave devem ser escolhidas criteriosamente, e, periodicamente, revistas. Se hoje, por exemplo, a palavra-chave “biquíni de bolinha” está em alta, amanhã (no inverno ou no próximo verão) ela pode estar em baixa.

Talvez seja difícil acertar todas as palavras-chave relevantes sozinho, mas existem ferramentas   para ajuda-lo nessa missão importantíssima.

Abusar de palavras-chave

E os erros com palavra-chave não param só na escolha errada de termos. Usar as palavras certas, porém em exagero, também pode prejudicar bastante a sua nota nos buscadores. Se os sites entenderem que você está fazendo isso de forma errada, você será penalizado pelo chamado “keyword stuffing” – um “recheio” exagerado de palavras-chave.

Use-as apenas quando elas fizerem sentido no contexto. Voltando ao exemplo do “biquíni de bolinha”, não faz sentido uma página que reúna artigos masculinos, ter na descrição dos produtos, essa palavra-chave. O ideal é que a palavra-chave não apareça mais do que duas ou três vezes na descrição ou título do seu site. Experimente usar também sinônimos (sem exageros, também). Eles podem ajudar a aumentar a relevância do site.

Achar que conteúdo relevante = criar um blog para a empresa

Depois que foi falado e comprovado que conteúdo relevante ajuda (e muito) no bom desempenho do site perante aos buscadores, tem muita loja virtual que vem investindo em blogs embutidos no próprio site de vendas. Boa estratégia, mas cuidado!

Criar um blog não é só encher o espaço de textos aleatórios e copiados de outros autores (mesmo sendo dados os devidos créditos). Você precisa ser relevante para seus clientes e o conteúdo tem que ser original.

Muitas vezes, um FAQ pode ser mais relevante do que um blog. Quando bem feita, essa página é de extrema importância para o cliente, pois traz exatamente o que ele precisa.

Ausência de sitemap (mapa do site)

Sabe aquele link “mapa do site” que aparece lá no rodapé em alguns sites? Pode não parecer, mas ele é de grande valia para um melhor desempenho do SEO de seu site. Ele é, basicamente, uma lista com todas as páginas do site. Além de ajudar o usuário a navegar, ele guia também os robôs de busca. Ter um mapa do site atualizado ajuda a indexar melhor e mais rápido as páginas nos sites de busca.

Esquecer que o processo deve ser contínuo

Paciência e persistência, essas são os adjetivos que devem andar juntos com o SEO. Você não vai conseguir subir no ranking do dia para a noite, e, mesmo quando conseguir, não pode descuidar.

O processo de SEO tem que ser contínuo, as técnicas precisam ser aplicadas a vida toda. O Google favorece os sites que estão sendo constantemente atualizados e abastecidos com conteúdo relevante.

 

Detectou o que está errado com o seu SEO? Então, corra já para fazer os ajustes.

10 estratégias para criar conteúdos amados pelos buscadores (e leitores)

Quer fazer sua loja entrar no radar dos buscadores? Aqui vai o segredo: conteúdo útil e de qualidade.

Já falamos sobre a importância de ter um blog para se aproximar dos clientes, oferecendo dicas úteis e respondendo a suas dúvidas.

Mas, além de estreitar o relacionamento com o consumidor, a criação de conteúdo original tem outra função: fazer seu site aparecer melhor nas buscas.

Quanto mais você fala sobre um tema, mais você mostra ao buscador – e aos potenciais clientes – que entende dele e que merece um bom posicionamento quando alguém pesquisa sobre o assunto.

Um texto bem posicionado no Google pode ser a porta de entrada para novos negócios. Quer saber como você faz isso? Vamos às dicas:

1. Mapeie bem as palavras-chave

O primeiro passo é estudar as palavras-chave. Quais termos de pesquisa seu site precisa ter para ficar bem posicionado nas páginas de busca? Aqui você deve pensar nas palavras, termos ou expressões que os usuários digitam nos buscadores ao pesquisar determinado assunto.

Depois você deve entender quais são as pesquisas que os usuários fazem relacionadas àquele termo – isso vai mostrar a quais dúvidas você deve responder e de quais temas deve tratar.

Por exemplo, se você tem um site de produtos para pets e descobre que há uma grande procura por “como dar banho em gatos”, esse pode ser o tema de um post ou de um vídeo.

O segredo está em encontrar palavras-chave com muita demanda e baixa concorrência – ou seja, pouco conteúdo disponível sobre aquele assunto. Há algumas ferramentas que ajudam nessa tarefa, como o Google Adwords e o SEMrush.

2. Crie conteúdo de qualidade

Cada vez mais os algoritmos de busca (que determinam a ordem dos resultados de pesquisa) dão peso maior à qualidade do conteúdo. Para se destacar, crie textos úteis e aprofundados, que ofereçam algo além do que já estava disponível sobre o tema.

3. Atenha-se ao assunto

É fundamental que o conteúdo corresponda ao tema proposto no título e que as palavras-chave mencionadas façam sentido no contexto. Ou seja, não adianta tentar enganar o buscador e fazer um texto com o título “Entenda tudo sobre Física Quântica” e colocar uma receita de pipoca de micro-ondas no corpo. Além de ranquear mal nas buscas, seu texto deixará o leitor extremamente insatisfeito, e ele nunca mais confiará no seu site.

4. A densidade das palavras-chave importa

Mesmo que o termo escolhido seja superimportante, você precisa saber distribuí-lo pelo texto. Pesquisas dão conta que uma densidade ótima está entre 3% e 5%. Isso faz com que você mostre aos mecanismos de busca que aquele artigo se refere à palavra mencionada.

Mas se você repetir demais a expressão, o que representaria mais de 5% de aparições, os robôs podem entender que você está tentando burlar as regras, e seu site pode ser punido, perdendo posições.

Por isso, tenha parcimônia. Use sinônimos das palavras-chave para que o conteúdo seja rico e bem cotado.

5. Estude a concorrência

Você pode usá-la como aliada. Ao pesquisar por um termo relevante para sua página, analise os primeiros conteúdos mencionados nas buscas. Veja quais palavras eles usam mais, se possuem boas imagens, se fazem uso de vídeos etc.

Depois de feita a análise, comece a organizar seu texto. As informações coletadas acima devem ser a base do seu conteúdo. Isso porque, como já explicamos, para ficar mais bem posicionado, você precisa oferecer ao leitor um conteúdo melhor e mais completo.

Inclua dados que não foram apresentados nos outros textos, além de usar meios de comunicação que não foram explorados, como podcasts, por exemplo.

6. Cuidado com o conteúdo duplicado

Seus textos devem ser originais. Por mais que você olhe para a concorrência para ter ideias, jamais deve copiar textos de outros sites. Além de ser desonesto e ilegal, isso pode fazer com que todo seu trabalho de SEO vá por água abaixo.

7. Ganhe relevância

Agora o Google tem em seus algoritmos um novo fator que é importante para o trabalho de SEO: o Author Rank. Ele avalia se você possui autoridade sobre o tema do conteúdo postado.

Quanto maior seu conhecimento sobre o assunto, mais chances seus textos têm de ficar bem posicionados no Google. Para isso, você precisa criar um perfil da sua empresa no Google Plus, por meio do qual receberá um código para inserir no HTML de suas páginas, identificando o artigo como sendo de sua marca.

Conforme você posta novos conteúdos com bons posicionamentos nas buscas, mais fácil será para que os próximos textos também sejam bem indexados.

8. Use URL amigável

As URLs das suas páginas precisam ter palavras que já deem dicas sobre o conteúdo encontrado ali. Endereços que usam apenas números ou sinais prejudicam seu posicionamento nas buscas, pois fazem com que os mecanismos de busca tenham dificuldade para identificar o tema dos posts.

Além disso, a URL amigável permite que o próprio internauta saiba do que trata o post antes de clicar no link.

9. Descreva as imagens

Além de ter imagens bonitas e com boa qualidade, para que seja mais fácil gerar um efeito viral em redes sociais como o Pinterest, é importante que você adicione textos descritivos no nome das fotos.

Isso faz com que elas também sejam identificadas pelos mecanismos de busca, o que traz pontos positivos para a página e aumenta as chances de seu conteúdo aparecer em uma pesquisa por fotos.

Outra dica útil: no pequeno descritivo da imagem tente usar, também, a palavra-chave principal daquele artigo.

10. Faça bom uso dos links

Um texto é bem-visto pelos robôs quando tem links que levam a outros conteúdos úteis e relacionados ao tema. Por isso, capriche no “link building”, ou seja, na construção de conexões relevantes com outras páginas pertinentes, sejam elas suas ou de terceiros. Esse é o momento que você pode aproveitar para linkar seus posts com produtos e ofertas do seu site.

Atenção: evite fazer links em termos vazios, como “clique aqui” ou “saiba mais”. Prefira termos relacionados ao assunto do qual a página de destino trata.

Dica extra: Espalhe!

Fez um conteúdo bacana? É hora de divulgá-lo! Além de ajudar a dar visibilidade ao seu trabalho, as redes sociais também aumentam a relevância dos seus textos.

A lógica é simples: quando um conteúdo é bom, os comentários e compartilhamentos se multiplicam, o que faz com que mais pessoas cliquem em sua página e, por consequência, ela ganhe pontos positivos nos mecanismos de busca.

 

Pronto para fazer conteúdos que serão amados pelos buscadores e pelos leitores? Então mãos à obra, vamos postar!

3 truques que ajudam a calcular o ROI das suas ações de marketing

E-mail marketing, links patrocinados, promoções, patrocínios, eventos. As opções para quem quer investir em uma ação de marketing para promover sua loja virtual são muitas. Mas a pergunta, ao apostar em qualquer uma delas, é sempre a mesma: como calcular o retorno da ação?

Medir o ROI, do inglês Return On Investment, ou o retorno sobre o investimento de uma ação de marketing, não é das tarefas mais fáceis, embora seja fundamental para entender o que funciona e concentrar suas energias – e seu suado dinheirinho – no que traz mais resultados para o seu negócio.

Uma pesquisa realizada pelo Mundo Marketing em parceria com a TNS Research International constatou que 85% das empresas que calculam o retorno do investimento de suas ações de marketing depois usam os resultados como aprendizado para ter mais sucesso nas próximas ações.

A equação tradicional para medir ROI é: lucro obtido com a ação – investimento na ação ÷ pelo investimento na ação.

Mas nem sempre é fácil isolar os custos de uma ação. Por exemplo, se você colocou um designer do seu time para criar um banner, não basta considerar os custos de veiculação desse banner em sites ou blogs. As horas que o profissional gastou criando a peça também devem entrar na conta.

Já para chegar ao lucro com a ação você terá que identificar quais foram os clientes que chegaram à sua loja através daquele banner e calcular qual foi a margem de lucro que você obteve em cada venda.

Pode parecer complicado à primeira vista, mas não desanime. Selecionamos alguns truques que podem facilitar o processo:

Pergunte aos seus clientes como eles chegaram até você

Pode parecer óbvio, mas essa é uma das maneiras mais simples de identificar quais são os investimentos que estão trazendo mais retorno para o seu negócio. Inclua uma pergunta simples no checkout, envie um e-mail ou, se tiver tempo, faça um contato telefônico para registrar a resposta – de quebra, você pode aproveitar para descobrir mais sobre a experiência de compra do cliente e fazer com que ele se sinta prestigiado.

Inclua códigos em materiais promocionais e e-mails

Quando disparar um e-mail marketing ou produzir um panfleto para promover sua loja, inclua códigos promocionais oferecendo um desconto especial para aquele cliente. Ao digitar o código específico daquela ação, o cliente dirá para você como chegou até sua loja.

Crie landing pages

Crie landing pages (página de chegada) específicas para cada ação promocional que você fizer. Assim, fica mais fácil medir o número de clientes que estão clicando e comprando do que se todo mundo desembocar na sua homepage.

Além disso, as landing pages são bem direcionadas ao que o cliente está buscando, por aumentas as chances de concretizar a venda.

 

Conhece outros truques que ajudam na hora de calcular o ROI das ações de marketing? Coloque-os em prática e aumente o retorno de suas ações!

Passo a passo: crie sua primeira campanha de links patrocinados

Levante a mão quem nunca acabou clicando em um link patrocinado durante uma pesquisa? Eles estão lá, no topo da página, em evidência, e, na maioria das vezes, têm tudo a ver com o que você está buscando.

Você já se perguntou o que é preciso fazer para aparecer lá? Quer uma boa notícia? É mais simples do que você imagina.

Para aparecer bem nas buscas orgânicas (os resultados que são exibidos naturalmente pelo buscador), é preciso fazer um bom trabalho de SEO (search engine optimization). Dá resultado, mas leva tempo.

Os links patrocinados são um atalho para chegar ao topo mais depressa.

Quer saber como funciona? Então vamos lá:

Defina seu objetivo

Qual o resultado que você quer atingir com a sua primeira campanha? Aumentar as vendas de um determinado produto? Ou ter mais assinaturas na sua newsletter? Crescer o tráfego do seu blog? Escolha apenas uma meta para sua campanha e mantenha o foco.

Estabeleça um orçamento
Com o objetivo definido, é hora de determinar qual será o seu investimento. Os links patrocinados são pagos por clique. Ou seja, você só desembolsa quando alguém entra no seu site. Cada palavra-chave (vamos falar delas mais à frente) tem um custo.

Você estipula o total que quer gastar e um valor é debitado deste total toda vez que alguém clica na sua propaganda. Quando acabar a verba, acabou sua campanha – a menos que você decida fazer um novo investimento.

Defina palavras chaves

Esta é uma das etapas mais importantes para o sucesso de sua campanha. A palavra-chave ou frase-chave é o que as pessoas digitam na caixa de pesquisa do buscador quando estão procurando por algo. Selecionar palavras ruins ou muito genéricas pode significar pagar muito por visitantes que não vão ser convertidos.

Mas como definir boas palavras-chave? Primeiro, você deve fazer um brainstorm com uma lista de palavras-chave que você acha que podem ser boas para a campanha – quanto mais específico, melhor. Por exemplo: “receita” é uma palavra chave ruim – muito genérica e, provavelmente, muito concorrida. Seria melhor: “receita de bolo” ou ainda “receita de bolo de chocolate”.

Depois de definir seus termos, use ferramentas que ajudam a avaliar a concorrência e estimar quanto eles custam. Além de mostrar o tráfego mensal para aquela palavra chave que você definiu, elas dão outras ideias de termos relacionados.

Capriche nos anúncios

Palavras-chave são importantes, mas se o seu anúncio de texto não for chamativo, não vai fisgar ninguém.

Faça uma pesquisa pela sua palavra-chave e dê uma olhada no que seus concorrentes estão escrevendo em seus anúncios. Mas nada de copiar! A ideia é ser criativo e fazer diferente para se destacar.

Fique atento também ao limite máximo de texto – as chamadas têm que ser curtas e ir direto ao ponto.

 

Atenção às landing pages

Essas são as páginas onde o usuário vai chgear quando clicar no seu anúncio.

É fundamental conduzir os visitantes diretamente para a página relacionada com o link que foi clicado.

O ideal é que cada grupo de anúncios tenha uma landing page separada, com conteúdo sob medida que reforce a proposta da venda e leve o usuário a clicar no botão “comprar”.

Analise a taxa de rejeição

A taxa de rejeição (ou bounce rate) é a porcentagem de visitantes que caem na sua página, mas não tomam nenhua ação, nem continuam navegando no seu site.

Por exemplo, se em 100 visitas, 80 tiveram esse comportamento, significa que sua campanha tem uma taxa de rejeição de 80%.

Cabe a você entender por que esses 80 visitantes foram embora sem concluir a ação desejada.