O ano de 2020 foi marcado por um turbilhão de expectativas frustradas e famílias desempregadas. Com o surgimento do Coronavírus e a pandemia tomando conta do país, muitas empresas ficaram ameaçadas e adotaram planos de demissão em massa.

Desde os pequenos empreendedores até as grandes empresas, muitos foram afetados de alguma forma pela crise do Coronavírus. Com isso, tivemos uma parcela significativa de brasileiros desempregados em isolamento social e com dificuldades financeiras.

A transformação digital acelerou durante o ano de 2020 com tendência a aumentar ainda mais o seu processo neste ano de 2021. Acontece que, com o isolamento social, as pessoas foram instigadas a utilizar muito mais a internet. 

Até mesmo aquela parcela da sociedade que ainda não estava ligada e integrada ao digital teve que se adaptar a essa nova realidade virtual. Em questão de dias o mundo todo se conectou e passou a funcionar por meio de aplicativos. 

Os serviços essenciais do dia a dia passaram a ser fornecidos exclusivamente no online e as empresas que até então relutavam em se digitalizar não tiveram outra alternativa. 

Uma das vantagens disso foi a grande abertura de oportunidades e possibilidades para quem deseja trabalhar com a internet. Se pudéssemos eleger o melhor tipo de negócio para se abrir na pandemia, sem dúvidas seriam os negócios digitais e virtuais. 

Em um mundo tomado por um vírus e as pessoas sem poder sair de casa, o mercado digital se tornou o principal espaço para ganhar dinheiro e se sustentar durante esse momento de crise. 

Hoje em dia, as pessoas conseguem fazer tudo diretamente do celular em apenas questão de minutos. 

Desde loja virtual, aplicativo de delivery, plataformas de exercícios online e até mesmo a área da saúde como a telemedicina, houve um aumento expressivo de demanda durante a pandemia com a tendência de só aumentar.

A compra online em loja virtual, por exemplo, veio para revolucionar o mercado de vendas e já faz parte de um novo comportamento de consumo entre os brasileiros, que buscam cada vez mais praticidade e otimização do tempo.

Pensando em tudo isso, separamos algumas dicas para quem está em busca de abrir o seu próprio negócio em tempos de pandemia ou até mesmo para quem deseja uma renda extra nesse momento tão precário. 

Atividades em Home Office 

O termo Home Office se popularizou muito durante a pandemia do Coronavírus, isso porque trabalhar de casa se tornou um dos únicos meios de ganhar dinheiro durante o período de isolamento social. 

Muitas pessoas tiveram que transformar a sala de casa em escritório e lidar com o trabalho e as distrações do ambiente familiar simultaneamente. 

Apesar disso, poder gerenciar o próprio tempo e flexibilizar a carga horária de trabalho é uma das maiores vantagens de quem trabalha em Home Office. 

Por ser uma modalidade de trabalho remoto onde a pessoa trabalha dentro de casa, é possível economizar com a estrutura de um local de trabalho e ainda poupar gastos e energia com locomoção no trânsito. 

Trabalhar de casa pode ser um grande desafio para quem estava acostumado ao ambiente corporativo e aos estímulos diversos de um ambiente de trabalho. 

Ter que lidar com as distrações do ambiente familiar e sair da zona de conforto é uma das maiores dificuldades para quem trabalha com Home Office. 

Por outro lado, ter o escritório em casa e trabalhar de acordo com seu próprio horário possibilita maior liberdade e qualidade de vida para as pessoas. 

Tudo isso gera maior autonomia para delimitar a carga horária de trabalho e aproveitar o tempo livre para estudar, aperfeiçoar as habilidades ou até mesmo o autoconhecimento. 

O autoconhecimento é um fator importante para a produtividade, pois possibilita que as pessoas saibam quais os horários de maior disposição e consigam elaborar uma jornada de trabalho adequada, de acordo com sua subjetividade e com suas potencialidades. 

Tudo isso irá refletir na produtividade do trabalho e por consequência, no sucesso de seu negócio. As oportunidades e possibilidades do Home Office se multiplicam com a democratização das ferramentas digitais. 

Hoje em dia se tornou muito mais fácil criar um site e construir seu espaço na internet. De uma forma geral, a maioria dos negócios que mais lucraram durante a pandemia foram realizados por meio do Home Office. 

Pessoas que trabalham como freelancer, com marketplace, loja virtual, infoprodutos e até mesmo oferecendo outros serviços fora da internet, todos exerceram seu trabalho majoritariamente ou exclusivamente de casa.

E-commerce 

O mercado digital é uma das possibilidades de Home Office mais procuradas durante a pandemia. De acordo com uma pesquisa da Criteo, dos 52% de brasileiros que consumiram no e-commerce pela primeira vez durante a pandemia, 94% pretendem continuar comprando em alguma loja virtual. 

A tendência do e-commerce é crescer cada vez mais, mesmo após a pandemia. O comércio digital trouxe novas experiências inovadoras ao consumidor e ganhou destaque entre os brasileiros. 

As oportunidades para trabalhar no e-commerce são inúmeras e englobam todos os canais de venda online. Seja uma loja virtual, ou até mesmo as plataformas de venda do Facebook e Instagram

Para trabalhar com o e-commerce é importante definir um nicho de mercado e estudar qual será o público-alvo. Dentre os temas em alta com potencial para investir durante e pós-pandemia estão a tecnologia, produtos e alimentos naturais e vestuário. 

Reflexo de novos hábitos e de um novo estilo de consumo, os produtos e alimentos naturais se tornaram assunto de destaque durante a pandemia. 

Unindo dois elementos muito requisitados durante o ano de 2020, que são e-commerce e saúde, é possível criar uma loja virtual com produtos e alimentos naturais com grande potencial para um negócio de sucesso durante e pós-pandemia. 

Infoprodutos 

Com o aumento do uso da internet e a aceleração na transformação digital durante a pandemia, o consumo de conteúdo online intensificou de forma expressiva nos últimos tempos. 

A paralisação das faculdades e escolas pelo país fez com que o ensino remoto e o conteúdo de ensino online ganhassem visibilidade e destaque durante a pandemia.
Tudo isso influenciou na valorização dos infoprodutos, que são produtos digitais ricos em informação vendidos na internet. Assim como em todas as áreas, o conhecimento também passou a ser digitalizado e vendido por meio dos ebooks, conteúdo audiovisual e podcasts. 

Comercializar o conhecimento nesses formatos é uma das grandes apostas de negócios durante a pandemia. Você já parou para pensar o quão valioso pode ser seu conhecimento? 

Se você tem propriedade em um conhecimento específico e busca compartilhá-lo de alguma forma, é possível elaborar o seu próprio infoproduto e disponibilizar para venda e acesso online. 

O mercado de infoprodutos está arrecadando cada vez mais adeptos e pode ser uma grande oportunidade de renda extra durante a pandemia. 

Para quem procura um negócio de baixo investimento, é possível vender infoprodutos de outras empresas e lucrar com as comissões de venda. Além de ser uma forma acessível de adentrar no mercado, requer menor investimento inicial e lucratividade de forma rápida.

Influencer e redes sociais 

As multifacetas da pandemia trouxeram principalmente novos modelos no consumo de conteúdo online e intensificou o que já era esperado entre as novas gerações: o uso excessivo das redes sociais. 

Com isso, uma grande parcela da sociedade saiu lucrando com esse público e conseguiu grandes oportunidades na internet por meio das redes sociais. 

Se você possui habilidades como comunicação, autenticidade e persuasão, trabalhar como influenciador digital pode ser uma ótima alternativa de negócio durante a pandemia. 

Os influenciadores digitais são hoje pessoas com grande ascendência nas redes sociais, com influência no comportamento das pessoas, principalmente quando se trata de consumo. 

As tendências do mercado, o engajamento das grandes marcas e até mesmo o alcance das marcas menores são diretamente influenciadas por essas pessoas. Os criadores de conteúdo são muito requisitados pela publicidade com remunerações significativas.
Assim como o mercado de streaming, as redes sociais estão ocupando um lugar de grande alcance na internet, com um público que só tende a crescer. 

Ramo alimentício 

A demanda por delivery de comida aumentou expressivamente durante a pandemia. Com os restaurantes todos fechados, as pessoas encontraram outras formas de obter uma experiência gastronômica por meio do delivery. 

Além de ser uma alternativa para os chefs que ficaram desempregados, várias outras pessoas utilizaram a cozinha de casa para conseguir uma renda extra no ramo alimentício. 

Hoje em dia, muito mais do que consumir um prato específico, elas buscam obter experiências e valorizam muito mais o conceito por trás de todo serviço ou produto.
Pensando nisso, muitas pessoas inovam e abusam da criatividade na criação dos pratos e principalmente na apresentação. 

As possibilidades são inúmeras, seja pratos saudáveis, doces e até mesmo veganos, o importante é definir um público alvo e elaborar estratégias visuais e interativas que dialoguem com essas pessoas. 

Conclusão 

Descubra novos caminhos e busque explorar suas potencialidades. Estar atento às novas tendências do mercado e às oportunidades em meio a pandemia é muito importante para fazer escolhas positivas neste momento. 

Como vimos, os caminhos para obter uma renda extra durante a pandemia e abrir um negócio são inúmeros. Busque novas possibilidades digitais voltadas para áreas que você tem experiência ou afinidade. 

Assim como muitas empresas conseguiram elaborar novas formas de permanecer no mercado, você pode analisar novas possibilidades para continuar exercendo o seu trabalho, seja por meio de novas ferramentas ou até mesmo novos empreendimentos. 

Mas lembre-se: estar aberto a novas áreas e novos empreendimentos é essencial para sobreviver a essa pandemia.